sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Modelando uma Cidade com o Blender 3D

como fazer um oceano animado em 3D no blender parte 1

VideoTutorial animação usando keyframes no Blender part 02

VideoTutorial Animação usando keyframes no Blender part 01

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O FIUME DELLA VITA DESEJA A TODOS OS SEUS LEITORES E SEGUIDORES UM ANO REPLETO DE REALIZAÇÕES!



Estamos no limiar de um novo ano. Durante o ano que ora se conclui tivemos momentos diversos de paz, quietitude, esperanças, vitórias, conquistas realizadas. Mas também ao nosso encontro vieram momentos de angústias, incertezas, insegurança... Com inteligência soubemos colher o que de bom nos aprouve de cada instante que vivemos. O bom combatente não vive só de vitórias, mas precisamente de lutas. Sem lutas, é óbvio que jamais alcançaríamos nossas vitórias. No mais profundo do nosso ser brada uma voz forte e incólume. É a voz dos nossos mais profundos desejos e anseios, o que nos impulsiona para o campo de batalha, para o meio do nosso Armagedom. É então que perfilados por um espírito de nobreza, de coragem e dignidade levantamos nossas armas para combater não os inimigos exteriores, o que estão ao nosso redor. Às vezes eles parecem invencíveis e pensamos que precisamos de mais força para vencê-los. Mas no final de tudo compreendemos que o maior inimigo a ser combatido mora no âmago do nosso ser: NÓS MESMOS! Sim de repente se damos conta de que é necessário vencermos o nosso próprio ser. Vencer o que de timidez temos em nossa alma, nossos defeitos, o nosso orgulho infiltrado n'alma. Então assim poderemos vencer os demais perigos que nos rodeiam. Vencendo nosso próprio coração poderemos aprender a sermos vitoriosos durante a batalha diária que dentro de poucas horas se repetirá num ciclo que só será concluído quando humildemente depositarmos nosso espírito aos pés daquele que venceu a este mundo: JESUS CRISTO.

HOBBY FRANCÊS - Expressões idiomáticas com preposições





Salut! Ça va?
Algumas preposições fazem parte de expressões idiomáticas fixas, de tempo e direção.Vamos aprender algumas delas.
Expressões de Tempo
à bientôt – até logo
à ce soir - até a noite
à cet après-midi – até a tarde
à demain – até amanhã
à l’avenir – no futuro
à l’heure - na hora certa
à la fois - ao mesmo tempo
à plus tard - até mais tarde
à samedi - até sábado (te vejo no sábado)
à temps – a tempo
à tout à l’heure – até daqui a pouco
au printemps - na primavera
au revoir – adeus
Expressões de Direção
à côté de - ao lado de
à deux kilomètres d’ici – a dois quilômetros daqui
à droite de - à direita de
à gauche de – à esquerda de
à la fin de – no fim de
à la page – na página
à travers – através
à un mètre de hauteur – a um metro de altura
au bas de – no fundo de
au bout de - no fim de (distância)
au coin de – na esquina de
au fond de – no fundo de
au milieu de - no meio de
au pied de - no pé de
au sommet de – no topo de
au-dessous de – embaixo de
au-dessus de – encima de
loin de – longe de
près de – perto de
C’est tout pour aujourd’hui. On se voit!


Clique na imagem e baixe grátis o HOBBY FRANCÊS - Expressões idiomáticas com preposições














sexta-feira, 26 de novembro de 2010

PARABENS SOLÂNEA!












Eu não poderia deixar passar esta data. Minha cidade hoje está completando 57 anos. O meu desejo principal é que este povo acolhedor e simpático abra também cada vez mais a porta do coração e deixe o amor de Deus entrar. O amor de Deus chama-se JESUS. Acredito que só Ele pode satisfazer todos os anseios e aspiraçoes deste povo. 

PARABÉNS SOLÂNEA!



História Solânea PB
A fundação, propriamente dita, é atribuída aos habitantes que povoaram a região, por volta dos anos de 1750-1800. Segundo a história oficial, um dos descendentes dos colonizadores da família Soares Cardoso Moreno, vindo do Ceará, fixou moradia, nas terras planas, com fazenda de gado e engenho.






Com o crescimento da região, alguns pioneiros - tais como Leôncio Costa, Alfredo Pessoa de Lima, e tantos outros - empreenderam esforços no sentido de transformar o pequeno povoado em Distrito de Paz. Isto só veio ocorrer no dia 4 de dezembro de 1926. Assegurado pela Lei nº 637, o pequeno aglomerado passou a ser chamado de Moreno, nome dado em homenagem ao seu fundador.

A partir de 1927, Moreno viveu intensos dias de vida social e cultural, começando a se projetar no cenário comunal. Em 15 de novembro de 1938, sob o Decreto-lei nº 1.164, Moreno eleva-se à categoria de Vila.

A antiga Vila de Moreno, alcançou sua independência e emancipação política, administrativa e social, graças a uma forte reivindicação dos homens de grande visão da época. O projeto de lei encaminhado à Assembléia Legislativa da Paraíba, foi de autoria do então deputado estadual Dr. Humberto Coutinho de Lucena. A Lei nº 967 que criou o Município de Solânea, datada de 26 de novembro de 1953, foi sancionada pelo então governador do Estado, Dr. João Fernandes de Lima, concedendo fórum à cidade e, conseqüentemente, criando o município e comarca de Solânea. Em homenagem a esta data, construiu-se a principal praça da cidade, em frente à Igreja -matriz de Santo Antônio, padroeiro do Município. O Município foi instalado em 30 de dezembro de 1953.

Desde 2003 a cidade realiza umas das maiores festas juninas do estado da Paraíba e do Brasil com uma media de 40.000 pessoas por dia nos 12 dias do eventos que aconteçe de 12 à 24de junho.

 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

BRUSHES PARA PHOTOSHOP

Trabalho em casa: como encontrar um emprego e escapar das armadilhas

28/10 09:03 | Enviado por bruno

Trabalho em casa: como encontrar um emprego e escapar das armadilhas

Olá Pessoal
Achei um artigo muito legal que apresenta dicas de como trabalhar em casa sem cair em armadilhas, o artigo foi escrito pelo Augusto que é o responsavel pelo siteEfetividade.net
Ganhar dinheiro em casa, seja em uma oportunidade de emprego ou fazendo um extra, é um desejo comum. Muitas pessoas buscam uma forma de trabalhar em casa e complementar sua renda usando o computador, a internet, fazendo revenda de perfumes ou utensílios, atuando em vendas diversas, em marketing de rede ou multinível, ou das mais variadas formas. Alguns sonham alto e pensam que assim vão obter independência financeira ou mesmo ficar ricos, outros são empreendedores e pensam objetivamente em angariar recursos para abrir seu próprio negócio.
Mas muitos não sabem por onde começar a procurar, e buscam informações sobre este assunto na Internet ou seguindo anúncios nos classificados dos jornais, ou em publicidade contextual na web - incluindo os anúncios que você vê aqui mesmo nesta página, gerenciados por intermediários. Infelizmente trata-se de uma demanda bastante conhecida, e há décadas ela vem sendo explorada por pessoas cujo único interesse é faturar a partir da credulidade destes curiosos inocentes - a ponto de se esforçar por anunciar inclusive em páginas que advertem sobre eles mesmos, como esta que você está lendo.
Se você está procurando por oportunidades de trabalho em casa que possam gerar uma renda extra, não deixe de continuar lendo e escape das armadilhas que estes “espertos” colocam no seu caminho, e nas quais muitas pessoas em situação igual à sua caem todos os dias.

LEIAM O POST COMPLETO AQUI:



 

 

domingo, 14 de novembro de 2010

A QUEM OUSAR AMAR...


A quem ousar amar...
 
 
Amor... Alguns poetas dizem ser bicho traiçoeiro, causador das mais complexas, estranhas, doloridas e avassaladoras emoções. Certamente os historiadores dirão que por causa dele reinos foram invadidos, princesas foram seqüestradas, famílias de nobres e plebeus se misturaram ou foram divididas. Outros tantos, quem sabe mais desiludidos ou decepcionados, já alegam não existir o amor e usam a desculpa científica de classificá-lo apenas como um conjunto de combinações químicas e hormonais que evoluiu a fim de garantir a preservação da espécie humana e tentam se livrar desta euforia de amar a todo custo.

Seja como for, aos teimosos e corajosos que ousarem enfrentá-lo, e também a quem ainda tem medo ou dúvidas, tenho algumas considerações a fazer...

Já fui vítima tanto de amar de mais, como de amar de menos. Já fui pego de surpresa com medo de não ser amado e também de não estar amando. Já me frustrei, já chorei, já me arrependi... Já me precipitei e travei tantas vezes que nem sei contar. Já falei antes de pensar e já pensei sem falar... Entretanto já me alegrei e vi bichinhos, corações e o rosto da pessoa amada nas nuvens muitas outras vezes ao som de suspiros e canto de passarinhos imaginários.

Quem ousa amar tem de fazê-lo de peito aberto, sem reservas, assumindo o risco sim! Não ame querendo amor em troca! Apenas ame e se dedique no fazê-lo! Amor não é moeda ou investimento, não espere ser amado apenas porque você também ama. Vá amando, se entregando, se abrindo por completo. Quem ama por querer amor em troca, invariavelmente, acaba se frustrando muito, porque confunde amor com carência afetiva, o que definitivamente não é nada bom. Geralmente estas pessoas só conseguem perceber amor com atitudes e devoções iguais as suas próprias e não conseguem sentir o amor dito ou oferecido de uma forma diferente da sua.

Há quem diga que não devemos nos apaixonar, que não se deve dizer “eu te amo!”, não se deve amar com o coração assim tão aberto, que deve se manter uma certa razão e distância segura para não correr o risco da vulnerabilidade, da exposição a um amor não correspondido ou ofendido. Eu discordo! Tal discurso só revela a infantilidade de não conseguir suportar um “não” ou o medo da dor, como aqueles adultos patéticos que ainda hoje têm medo de injeção.

Amor só é amor mesmo, quando vivido plena, apaixonada, verdadeira, confiante e libertadoramente; com aquela sensação inconfundível de eternidade de bem. Ele não precisa vir todo de uma só vez, mas pode ser cultivado, tratado, afagado, regado como uma plantinha. Pode começar de um sorriso, de um carinho, de um abraço e ir crescendo lentamente até virar encanto, admiração, poesia, beijo, saudade e aquela vontade irresistível de passar horas e horas com a pessoa amada mesmo que ela tenha outros motivos para viver ou coisas a fazer além de estar com você.

Ame, ame muito! Mas, ame com foco! A única responsabilidade que se deve ter ao amar com tanta intensidade é o compromisso com a verdade, a lealdade e a fidelidade. Procure identificar a diferença entre o amor companheiro e a simples aflição de tesão passageira. Esta é a única hora em que o coração deve obrigatoriamente dar lugar à razão. Quem ama, certamente se entorpece de desejos, sonhos e pensamentos ofegantes. Não é pecado, muito pelo contrário, faz bem, é saudável querer se entregar ao amor, mas ele se plenifica e ganha raízes profundas seguras na alma e se completa somente à medida que damos prioridade e exclusividade a quem se ama.

Aqueles que vivem de tesão e não de amor indubitavelmente tornar-se-ão pessoas amargas e enrijecidas, carcomidas de bichos por dentro e frígidas de alma no futuro. Poderão contabilizar até um grande número de conquistas, coitos, cafajestagens e admiração sexual, mas doloridas e machucadas por dentro de falta de amor genuíno, doado e compartilhado até as últimas conseqüências.

É muito fácil cometer este equívoco, a confusão pode começar de modo muito sutil, mas a fidelidade não é a falta de atração/tentação sexual por outra pessoa além daquela a quem amamos, mas sim a escolha madura, racional e objetiva de amar escolhendo até mesmo orientar nossos desejos mais íntimos em direção a quem amamos.

Não espere também que os amores do passado se repitam ou sejam encontrados e buscados nas novas relações, não permita fantasmas! Viva um amor de cada vez! Não tenha medo ou reservas em se dedicar com exclusividade.

Por outro lado, confie sempre! O coração prega muitas peças em quem tem medo de amar. Um gesto de amor do(a) companheiro(a) pode facilmente ser confundido com desamor ou desafeto. Antes de julgar, aprenda a depositar confiança mesmo que as aparências digam o contrário. O amor tende a se enfraquecer muito quando há desconfianças sejam elas fundadas ou infundadas.

Aos que já encontraram um grande amor, digo que é muito fácil perder a admiração e o ar de fantasia com o tempo... Aquele vulcão da conquista e das descobertas amorosas pode dar lugar a um lago tranqüilo e às vezes até monótono. Mas o amor é o caminho entre o vulcão e o lago mesmo, tanto faz em que direção você queira ir o importante é não parar de andar de mãos dadas. O príncipe às vezes pode virar um sapo e a cinderela voltar pra casa com uma abóbora ao invés da carruagem, mas vai depender do trabalho árduo e dedicado dos dois outrora intensos amantes a conquista e a reconquista diária da fantasia inicial, do vulcão e dos momentos de perder o fôlego. Há coisas muito interessantes tanto no vulcão como no lago, o gostoso não é estar lá ou aqui, o bom e prazeroso é o esforço correspondido para continuar a caminhar juntos. Em outras palavras, não se permita perder a capacidade de se surpreender com a pessoa amada mesmo nas coisas mais corriqueiras e normais!

Encontrar alguém que queira andar de mãos dadas com a gente e queira espontaneamente dar este mesmo amor sem medidas é um presente de Deus a ser valorizado e agradecido todos os dias.

Aos que ainda não encontraram... alguns conselhos: ame primeiro a você, cuide-se, enfeite-se, curta-se, valorize-se, encontre o prazer da auto-suficiência de não precisar de nada além de você mesmo para se sentir uma pessoa amável , aprenda a não ter medo de se amar e investir em projetos pessoais. Em segundo lugar, seja menos exigente com você e principalmente com quem se propõe a amá-lo(a), não existe amante perfeito, nem mesmo você conseguiria sê-lo. Então, não digo que você deva se conformar cegamente com o que conseguiu [ou não] até aqui, como se você não fosse capaz de encontrar algo melhor, mas não inicie sua procura buscando alguém ou um amor à sua altura, pode ser decepcionante. Para falar a verdade, nem procure! Deixe o amor surgir naturalmente! Por fim, não fique medindo ou comparando sensações, não avalie a importância de alguém na sua vida pela sensação que ela lhe causa, mas pelo bem que ela pode provocar. Resumindo... Apenas se abra sem medo ao amor. O resultado da descoberta só vem com o tempo. Sim! É um risco!

O Deus que criou o amor te abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!
 
 
 
 

Nota importante:
 Jesus ensinou a dar de graça o que recebemos de graça. Se esta mensagem, de alguma forma, lhe fez bem, então provavelmente ela poderá fazer bem para outras pessoas que você conheça.
 Gostaria de sugerir, se não for constrangimento para você, que compartilhasse e encaminhasse este e-mail para o seu círculo de amigos e conhecidos. Fazendo isto você potencializa, em muito, o alcance da Palavra que já fez tanto bem aos nossos corações.
Leia outros artigos em www.ovelhamagra.com

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Uma Capa, Um Rio e Uma Grade Lição








Com uma religiosidade de supermercado, como bem indicado pelo teólogo alemão Jürgen Moltmann, as pessoas tem aprendido – erradamente – que não importa os meios utilizados, a benção tem que chegar. Entendem que a relação entre Deus e o homem é uma relação mercantilista do tipo “toma lá dá cá”. Para alcançar tais vitórias esses “caçadores da promessa” acabam transformando passagens e ações bíblicas em uma espécie de amuleto religioso, uma chave que abre as portas dos mistérios de uma “vida de vitória”. Essa noção é incorreta. Precisamos entender, noentanto, que o propósito primeiro de Deus não é uma relação, mas um relacionamento, ou seja, Deus está preocupado com a minha vida como um todo e não com parte dela.

Um exemplo disso que estamos dizendo pode ser visto claramente na narrativa sobre o arrebatamento de Elias e a sua capa que desce sobre Eliseu, em confirmação ao chamado deste (II RS 2. 1-15). Essa narrativa é empolgante e maravilhosa em todos os aspectos.
Elias era o grande símbolo do profetismo em Israel, e foi avisado, por revelação divina, que seria levado pelo seu Senhor. Sob tal expectativa, o tesbita saiu a fortalecer as escolas de profetas que estavam nascendo naquele período; em Betel, em Jerico e na região do Jordão. Ao chegar ao Jordão, o profeta Elias foi “tomado” por Deus “em um carro de fogo”. Deixando cair sobre Eliseu, seu discípulo, sua capa que “era símbolo do ministério profético” e do poder de Deus que repousava sobre Elias. Ao voltar para o Jordão, “Eliseu enrolou a capa e tocou as águas exatamente como vira Elias fazer; mas o rio seguia seu curso, inabalável”(Wangerin, 1998, 383). Então, sob o aparente fracasso gritou o novato profeta: “Onde está agora o Senhor, Deus de Elias? Quando feriu as águas, estas se dividiram para um e outro lado, e Eliseu passou”(II RS 2.14).

A versão do duplo ferimento das águas parece ser uma alternativa possível; senão, qual teria sido o motivo do grito do profeta Eliseu chamando pelo Deus de Elias? Essa narrativa alternativa aparece nas traduções mais antigas da Bíblia em português como Figueiredo (1904), e em uma tradução em espanhol feita por José Miguel Petisco (1995); bem narrada por Walter Wangerin em seu O Livro de Deus, como mostrado acima.

Se esta visão for tomada como uma alternativa possível, veremos que a não abertura das águas na primeira tentativa era para que Eliseu aprendesse uma simples e poderosa lição, a saber, que a capa de Elias que ele recebeu deveria ser usada não como relíquia sagrada que se deve adorar, ou como um amuleto em que se deveria confiar em todos os momentos; mas, como “um símbolo” que como tal não apontava para si mesmo, mas para algo fora dele, no caso, a dependência do poder de Deus. De outro modo: Deus queria que Eliseu colocasse a sua confiança não em um manto, mas no Deus de Israel, que era maior que qualquer símblolo, ou melhor, que dava sentido ao símblolo. Como bem indaga Mattew Henry (2008), “de que nos servirá termos os mantos daqueles que partiram, seus lugares, seus livros, se não tivermos o espírito deles, o Deus deles?”

A relação de troca não é, em hipótese alguma, algo estimulado por Deus. Se queremos um relacionamento com Deus, devemos começar por nos desligar de tudo aquilo que é usador por nós como um amuleto, uma chave mágica ou algo semelhante a isso. O que nos garante uma vida de vitória não são tais reliquias, mas a nossa dependência em Deus. Temos d’Ele a promessa de que se n’Ele nos deleitarmos teremos os desejos do nossos coraçãoes satisfeitos (SL 37.4). Isso é relacionamento. Que inclui troca, mas não se baseia nela.


 

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A REGENERAÇÃO DO SER HUMANO

 (Extraído de "O Homem Espiritual")





O conceito de regeneração conforme o encontramos na Bíblia fala do processo de passar da morte para a vida. O espírito de um homem antes da regeneração está afastado de Deus e é considerado morto, porque a morte é a dissociação da vida e de Deus, que é a fonte da vida. Em conseqüência, a morte é a separação de Deus. O espírito do homem está morto e por conseguinte é incapaz de ter comunhão íntima com Ele. Ou sua alma o controla e o submerge em uma vida de idéias e imaginações, ou os desejos carnais e os costumes de seu corpo o estimulam e reduzem a sua alma à escravidão.
O espírito do homem tem que ser avivado porque nasceu morto. O novo nascimento de que falou o Senhor Jesus com Nicodemos é o novo nascimento do espírito. É obvio que não é um nascimento físico como acreditava Nicodemos, nem tampouco anímico. Devemos nos fixar cuidadosamente em que o novo nascimento transmite a vida de Deus ao espírito do homem. Posto que Cristo expiou por nossa alma e destruiu o princípio da carne, os que estamos unidos a Ele participamos de sua vida de ressurreição. Fomos unidos a Ele em sua morte; por conseguinte, é em nosso espírito onde colhemos primeiro o cumprimento de sua vida de ressurreição. O novo  nascimento é algo que acontece totalmente no espírito: não tem nenhuma relação com a alma ou o corpo.
O que faz que o homem seja único na criação de Deus não é que possui uma alma, mas sim que tem um espírito que, unido à alma, constitui o homem. Esta união faz do homem um ser extraordinário no universículo. A alma do homem não está relacionada diretamente com Deus. Segundo a Bíblia é seu espírito que tem relação com Deus. Deus é Espírito, e em conseqüência todos os que o adoram devem adorá-lo em espírito. Só o espírito pode ter comunicação íntima com Deus. Só o espírito pode adorar ao Espírito. Por isso encontramos na Bíblia frases como:
«servindo com meu espírito» (Rm. 1:9; 7:6; 12:11);

«conhecendo por meio do espírito» (1 Co. 2:9-12);

«adorando em espírito» (Jo. 4:23, 24);

«recebendo em espírito a revelação de Deus» (Ap. 1:10; 1 Co. 2:10).

Em vista deste fato, recordemos que Deus decretou que tratará com o homem unicamente por meio de seu espírito e que terá que levar a cabo seus conselhos por meio do espírito do homem. Se assim tem que ser, que necessário é para o espírito do homem continuar em constante e viva união com Deus, sem cair nem por um momento na desobediência às leis divinas, seguindo os sentimentos, desejos e ideais da alma externa. Do contrário, se imporá a morte de modo imediato, e o espírito será privado de sua união com a vida de Deus. Isto não significa que o homem já não tenha um espírito. Simplesmente quer dizer, como já indicamos anteriormente, que o espírito renuncia a sua elevada posição em favor da alma. Sempre que o homem interior de uma pessoa presta atenção aos ditados do homem exterior, perde contato com Deus e se torna espiritualmente morto. «Estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes» ao «fazendo a vontade da carne e dos pensamentos» (Ef. 2:1-3).
A vida de uma pessoa não regenerada está quase por inteira governada pela alma. Pode estar vivendo com temor, curiosidade, alegria, orgulho, piedade, prazer, delícia, estranheza, vergonha, amor, arrependimento, gozo. Ou pode estar cheia de ideais, imaginações, superstições, dúvidas, suposições, interrogações, induções, deduções, análise, introspecções. Ou pode ser impulsionada — pelo desejo de poder, reconhecimento social, riqueza, liberdade, posição, fama, glória, conhecimento — a tomar decisões atrevidas, a entrar pessoalmente em compromissos, a expressar opiniões obstinadas, ou inclusive a resistir a testes pacientemente. Todas estas coisas e outras similares são simplesmente manifestações das três principais funções da alma, que são a emoção, a mente e a vontade. Acaso a vida não se compõe predominantemente destas coisas? Mas nunca poderão levar à regeneração. Fazer penitência, sentir-se aflito pelo pecado, derramar lágrimas, inclusive fazer votos, não leva à salvação. A confissão, a decisão e muitos outros atos religiosos nunca podem nem têm que ser interpretados como um novo nascimento. O julgamento racional, a compreensão inteligente, a aceitação mental, ou a busca do bom, do belo e do autêntico, são simplesmente atividades anímicas enquanto não se alcança e se sacuda o espírito. Embora possam servir bem como criados, as idéias, sentimentos e decisões do homem não podem servir como donos e por isso são secundários neste assunto da salvação. Daí que a Bíblia nunca considera que o novo nascimento seja tratar com severidade o corpo, um sentimento impulsivo, a exigência da vontade ou uma reforma através da compreensão mental. O novo nascimento bíblico acontece em uma área muito mais profunda que o corpo ou a alma humana, sim, é no espírito do homem onde recebe a vida de Deus por meio do Espírito Santo.
O escritor de Provérbios nos diz que «o espírito do homem é a candeia do Senhor» (20:27). No renascimento, o Espírito Santo entra no espírito do homem e o aviva como se acendesse um abajur. Este é o «espírito novo» mencionado em Ezequiel 36:26. O velho espírito morto é avivado quando o Espírito Santo lhe transmite a vida incriada de Deus.
Antes da regeneração, a alma do homem controla a seu espírito, enquanto seu próprio «eu» governa a sua alma e sua paixão governa a seu corpo. A alma se converteu na vida do corpo. Na regeneração, o homem recebe a própria  vida de Deus em seu espírito e nasce de Deus. Em conseqüência disso, agora o Espírito Santo governa o espírito do homem, que, por sua vez, é equipado para recuperar o controle sobre sua alma e, por meio da alma, governar seu corpo. Como o Espírito Santo se converte na vida do espírito do homem, este se converte na vida de todo o ser do homem. O espírito, a alma e o corpo são restaurados segundo o propósito original de Deus para toda pessoa nascida de novo.
Então o que terá que fazer para nascer de novo em espírito? Sabemos que o Senhor Jesus morreu em lugar do pecador. Sofreu em seu corpo na cruz por todos os pecados do mundo. Deus considera a morte do Senhor Jesus como a morte de todas as pessoas do mundo. Sua humanidade santa sofreu a morte por toda a humanidade ímpia. Mas há algo que o homem mesmo tem que fazer.
Tem que usar sua fé para comprometer-se — seu espírito, alma e corpo — na união com o Senhor Jesus. Quer dizer, tem que considerar a morte do Senhor Jesus como sua própria morte e a ressurreição do Senhor Jesus como sua própria ressurreição. Este é o significado de João 3:16: «Todo aquele que nele (literalmente) crê, não pereça mas tenha vida eterna.» O pecador deve ter fé e acreditar no Senhor Jesus. Ao fazê-lo, se une a Ele em sua morte e ressurreição e recebe a vida eterna (Jo. 17:3) — que é a vida espiritual — para sua regeneração.
Tomemos cuidado de não separar a morte do Senhor Jesus como nosso substituto de nossa morte com Ele. Certamente que o farão os que põem ênfase na compreensão mental, mas na vida espiritual estes dois fatos são inseparáveis. A morte substitutiva e a morte com Ele se distinguem mas não se podem separar. Quem acredita na morte do Senhor Jesus como seu substituto foi unido a Ele em sua morte (Rm. 6:2). Para mim, acreditar na obra substitutiva do Senhor Jesus é acreditar que já fui castigado nEle. O castigo de meu pecado é a morte, mas o Senhor Jesus sofreu a morte por mim; por conseguinte morri nele. Não pode haver salvação de outro modo. Dizer que Ele morreu por mim quer dizer que eu já fui castigado e morri nele. Todo o que acredita nesse fato experimentará sua realidade.
Assim, devemos dizer que a fé pela qual um pecador crê na morte do Senhor Jesus como substituto é «acreditar por dentro» em Cristo e como conseqüência está unido com Ele. Embora uma pessoa possa estar preocupada só pelo castigo do pecado e não pelo poder do pecado, mesmo assim sua união com o Senhor é a posse comum que compartilha com todos os que crêem em Cristo. Quem não está unido ao Senhor, ainda não acreditou, e em conseqüência não tem parte com o Senhor.
Ao acreditar, o que crê é unido ao Senhor. Estar unido com Ele quer dizer experimentar tudo o que Ele experimentou. Em João 3 nosso Senhor nos explica como somos unidos a Ele. Somos unidos a Ele em sua crucificação e morte (vs. 14,15). No mínimo, a posição de todo crente é de que foi unido ao Senhor em sua morte, mas é evidente que «se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição» (Rm. 6:5). Por isso, para o que crê na morte do Senhor Jesus como substituto, sua posição é igualmente a de ter ressuscitado com Cristo. Apesar de que possivelmente não experimente ainda plenamente o significado da morte do Senhor Jesus, mesmo assim Deus o tem feito viver junto com Cristo e ele obteve uma nova vida no poder da ressurreição do Senhor Jesus. Este é o novo nascimento.
Devemos nos guardar de insistir em que um homem não nasceu de novo se não teve a experiência da morte e da ressurreição com o Senhor. A Bíblia declara já regenerado a todo o que crê no Senhor Jesus. «Todos os que o receberam, os que acreditaram em seu nome... nasceram de Deus» (Jo. 1:12, 13). Fique entendido que ser ressuscitado junto com o Senhor não é uma experiência prévia ao novo nascimento. Nossa regeneração é nossa união com o Senhor em sua ressurreição e também em sua morte. Sua morte terminou com nossa vida pecaminosa, e sua ressurreição nos deu uma vida nova e nos iniciou na vida de cristão. O apóstolo nos assegura que «nascemos de novo a uma esperança viva por meio da ressurreição do Jesus Cristo dos mortos» (1 Pe. 1:3). Indica que todo cristão nascido de novo já foi ressuscitado no Senhor. Entretanto, o apóstolo Paulo em Filipenses ainda insiste conosco a experimentarmos «o poder de sua ressurreição» (3:10). Muitos cristãos nasceram de novo e em conseqüência foram ressuscitados com o Senhor, embora fiquem longe da manifestação do poder da ressurreição.
Assim, não confundam a posição com a experiência. No momento em que uma pessoa acredita no Senhor Jesus, pode ser muito fraca e ignorante, mas, mesmo assim, Deus a colocou na perfeita posição de ser considerada morta, ressuscitada e levantada com o Senhor. Quem é aceito em Cristo é tão aceitável como Cristo. Esta é a posição. E sua posição é: tudo o que Cristo experimentou é seu. E a posição o faz experimentar o novo nascimento, porque não depende do grau de seu conhecimento experimental da morte, da ressurreição e da ascensão do Senhor Jesus, mas sim de se ter crido nele ou não. Inclusive, se um crente é em sua experiência totalmente ignorante do poder de ressurreição de Cristo (Fp. 3:10),  Ele o tem feito viver junto com Cristo, o ressuscitou com Ele e o assentou com Ele nos lugares celestiais (Ef. 2:5, 6).
Ainda há outro tema a respeito da regeneração a que devemos prestar muita atenção: que temos muito mais do que tínhamos em Adão antes da queda. Naquele dia Adão possuía um espírito, mas era criado por Deus. Não era a vida incriada simbolizada pela árvore da vida. Não havia absolutamente nenhuma relação vital entre Adão e Deus. Foi chamado «o filho de Deus» de forma  similar à maneira em que o são os anjos, porque foi criado diretamente por Deus. Quem crê no Senhor Jesus, entretanto, «nasce de Deus» (Jo. 1:12,13). Conseqüentemente, há uma relação vital. Um filho herda a vida de seu pai. Nós nascemos de Deus, e por conseguinte temos sua vida (2 Pe. 1:4). Se Adão houvesse recebido a vida que Deus oferecia na árvore da vida, imediatamente teria obtido a vida eterna incriada de Deus. Seu espírito veio de Deus e por isso é eterno. A maneira como este espírito eterno viverá depende de como a pessoa considere a ordem de Deus e da escolha que faça. A vida que nós cristãos obtemos na regeneração é a mesma que Adão poderia ter tido, mas que nunca teve: a vida de Deus. A regeneração não somente resgata das trevas a ordem do espírito e da alma do homem; também proporciona ao homem a vida sobrenatural de Deus.
O espírito caído e escurecido do homem é avivado pelo fortalecimento do Espírito Santo ao aceitar a vida de Deus. Isto é o novo nascimento. A base sobre a qual o Espírito Santo pode regenerar o homem é a cruz (Jo. 3:14, 15). A vida eterna anunciada em João 3:16 é a vida de Deus que o Espírito Santo planta no espírito do homem. Posto que esta vida é de Deus e não pode morrer, depreende-se que todo  nascido de novo que possui esta vida podemos dizer que possui a vida eterna. Como a vida de Deus desconhece por completo a morte, a vida eterna no homem não morre jamais.
Estabelece-se uma relação vital com Deus no novo nascimento. Se parece com o antigo nascimento da carne, que é uma vez e para sempre. Uma vez que o homem nasceu de Deus, Deus nunca poderá considerá-lo como não nascido dEle. Por infinita que seja a eternidade, esta relação e esta posição não podem ser anuladas. Isto é porque o que um crente recebe no novo nascimento não depende de uma busca progressiva, espiritual e santa, mas sim é puro dom de Deus. O que Deus outorga é a vida eterna. Não há nenhuma possibilidade de que esta vida e esta posição sejam anuladas.
Receber a vida de Deus no novo nascimento é o ponto de partida do andar com Cristo, um mínimo absoluto para o crente. Os que ainda não creram na morte do Senhor Jesus nem tenham recebido a vida sobrenatural (que não podem possuir de maneira natural) estão mortos aos olhos de Deus, por muito religiosos, morais, eruditos ou zelosos que possam ser. Os que não têm a vida de Deus estão mortos.
Para os que nasceram de novo há uma grande potencialidade para o crescimento espiritual. A regeneração é o primeiro passo evidente em um desenvolvimento espiritual. Embora a vida recebida seja perfeita, precisa alcançar maturidade. No momento do novo nascimento, a vida não pode estar já plenamente desenvolvida. É como uma fruta recém formada: a vida é perfeita, mas ainda é imatura. Por isso há uma ilimitada possibilidade de crescer. O Espírito Santo pode levar a pessoa a uma vitória total sobre o corpo e a alma.


 

CONTROLE DA LINGUA

CONTROLE DA LINGUA

( Sl 141.3 )
Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios



Se quisermos ficar livres de consequências desastrosas é necessário dominarmos a nossa lingua ( Pv 29.20 ).
Falar demais é perigoso porque na multidão de palavras não falta pecado, pois aquele que modera os seus lábios tem sabedoria ( Sl 34.13; Pv 10.19 ).
Quantas pessoas pagam o preço por abrir muito a boca falando o que não convém acarretando para si perca de oportunidades ( Pv 18.21 ).
O cristão sábio só fala quando é tempo oportuno, ou seja, na hora certa ( Pv 25.11 ).
Meu irmão não estrague a benção que Deus quer te dar, controle a sua lingua, seja sábio ( Pv 13.3; 17.28 )



SENHOR CONTROLA A NOSSA LINGUA, AMÉM !!!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

VESTIBULAR - VOCÊ AINDA ESTÁ INDECISO? AINDA NÃO ESCOLHEU O SEU RUMO?

LISTA DE DIVERSAS PROFISSÕES UNIVERSITÁRIAS DISPONÍVEIS NO BRASIL.
VOCÊ PRECISA SE DECIDIR. O VESTIBULAR ESTÁ ÀS PORTAS.


1- Administração 



  Currículo: Atividade ligada ao planejamento e gerenciamento de empresas, sejam elas públicas ou privadas. A formação profissional do administrador leva em conta conceitos e métodos originados da Economia, Psicologia, Sociologia, Matemática e do Direito.
    A carreira: Um profissional de administração pode trabalhar em diversos setores, dentro da sua área (em empresas privadas, órgãos públicos, hospitais): gerenciamento, comércio exterior, contabilidade, recursos humanos, marketing, controle de produção.
    Duração do curso: 4 anos.


2- Arqueologia


  Currículo: A arqueologia consiste na análise de ruínas históricas, vestígios de civilizações, datação de material encontrado e reconstituição de hábitos e costumes de povos desaparecidos. História Geral, Matemática, Anatomia Comparada e Antropometria são algumas das disciplinas básicas da formação do arqueólogo, além de muitas horas de estágio em campo.
  A carreira: A arqueologia oferece a oportunidade de se trabalhar em duas  frentes: a pesquisa de campo, que é literalmente o trabalho de exploração, e a pesquisa em laboratório, que consiste na identificação e análise dos mais materiais encontrados.
     Duração do curso: 3 anos


3- Arquitetura

  
   Currículo: A arquitetura executa a tarefa de projetar casas e edifícios e planejar a construção (ou restauração) de cidades, bairros ou demais obras do gênero. Para se tornar um bom profissional, o arquiteto deve ter conhecimento de Estética, História da Arte, Estudos Sociais, Cálculo, Desenho, Estruturas e Materiais de Construção e Computação Gráfica.
    A carreira: A arquitetura, além de projetos e planejamentos, permite o desenvolvimento de uma carreira voltada para o paisagismo, o design ou a restauração de antigas construções.
    Duração o curso: 5 anos


4- Arquivologia




  Currículo: Basicamente, a arquivologia ocupa-se de organizar, manter e atualizar arquivos. A informática é hoje grande aliada da arquivologia, que utiliza conceitos de Administração, História, Direito e de Técnicas de restauração.
    A carreira: o arquivologista vai estar sempre mergulhado em meio aos materiais do arquivo, selecionando-os e classificando-os, e, posteriormente, localizando-os para consulta. Pode também trabalhar com a restauração de documentos e com administração em empresas ou instituições em empresas ou instituições.
    Duração do curso: 4 anos.


5- Artes Cênicas




  Currículo: Basicamente, é o estudo da arte de entreter. A formação desse profissional é voltada para  a prática de representar, em que conhecimentos da História do Teatro se fazem necessários.
    A carreira: Pode se desenvolver no teatro,no cinema e na televisão. Estudar artes cênicas é algo que exige vocação e capacidade de comunicação, para transmitir - por meio dos personagens - sentimentos e emoções.
    Duração do curso: 4 anos


6- Artes Plásticas




  Currículo: Consiste no estudo de técnicas que aprimorem o talento para a expressão visual. São disciplinas básicas do currículo do artista plástico: História da Arte, Estética, Sociologia da Arte.
    A carreira: Permite o desenvolvimento e a expressão das idéias do artista, de forma que ele possa interpretar o mundo que o cerca.
    Duração do curso: 4 anos.


7- Biblioteconomia






    Currículo: Mais do que simplesmente catalogar livros em bibliotecas públicas ou particulares, o bibliotecário ocupa-se com a organização e o armazenamento de informações e documentos. Língua Portuguesa e Inglesa, Literatura, Métodos e Técnicas de Pesquisa são matérias básicas para a boa formação cultural desse profissional, que deverá contar ainda com matérias específicas, como Informática Aplicada à Biblioteconomia, para um desempenho satisfatório da profissão.
    A carreira: É voltada para um trabalho bastante administrativo, de análise, seleção e organização. Atualmente, o profissional também trabalha com disquetes e CDs-ROM.
    Duração do curso: 4 anos.


8- Ciências Atuariais




  Currículo: Trabalho voltado para os cálculos de seguro, fundos de pensões e planos de saúde de  uma determinada empresa. O currículo de Ciências Atuariais compõe-se basicamente de Matemática, Estatística e Processamento de Dados. Matérias como Administração, Contabilidade e Economia também serão de conhecimento desse profissional.
  A carreira: O profissional dessa área deve trabalhar em companhia de seguros ou de capitalização. Investiga problemas desse setor, desenvolve planos novos de seguros e faz auditorias especializadas.
   Duração do curso: 4 anos.


9- Ciências Contábeis




    Currículo: A contabilidade  tem como função analisar e cuidar das contas de uma empresa. Para isso, o profissional precisará de conceitos de disciplinas como Administração, Economia, Contabilidade, Direito, e ainda Português, Sociologia e História Econômica.
    A carreira: O contador trabalha com cálculos. Cuida do orçamento, do patrimônio, das transações comerciais e dos bens de uma empresa. Pode trabalhar nos setores públicos ou privado, em áreas como a contabilidade bancária ou agropecuária.
    Duração do curso: 4 anos.


10- Ciências Econômicas/Economia




  Currículo: A Economia consiste no estudo das relações econômicas. O economista precisa, para sua formação acadêmica, de disciplinas tanto na área de humanas como na de exatas: História, Sociologia, Matemática, Estatística, Contabilidade, Econometria e outras.
  A carreira: Trabalha com pesquisa sobre a produção, distribuição, acúmulo e consumo de bens materiais. O economista estuda as relações econômicas entre os diversos setores sociais, analisa tendências e estabelece regras de mercado.
  Duração do curso: 4 anos.


11- Ciências Sociais




  Currículo: Estuda as relações sociais. As Antropologias Física, Cultural, Social e Econômica; a Sociologia, em todas as suas várias abordagens (Rural, Urbana, do Desenvolvimento etc.), e a Ciência Política, que estuda as doutrinas políticas, os regimes e as formas de Estado, são as disciplinas básicas da formação do cientista social.
  A carreira:Permite que o cientista social se especialize em 3 campos: Sociologia, Antropologia ou Ciência Política.
  Duração do curso: 4 anos.


12- Cinema


 Currículo: A careira de cinema consiste em transformar as idéias e as interpretações de mundo em filmes. Historia da Arte e do Cinema são fundamentais para a formação do cineasta. Mas os cursos ainda incluem disciplinas com Técnicas de Redação, Planejamento e Administração.
  A carreira: Permite que o profissional trabalhe em setores como roteiro, cenário, fotografica, direção, montagem, sonorização e filmagem. O cineasta trabalha com filmes de ficção, documentarios, filmes publicitarios e de desenhos animados.
  Duração do curso: 4 anos 

13- Comércio Exterior





    Cúrriculo: No elenco das disciplina do curso, línguas extrangeiras têm destaque: inglês e espanhol são imprescindíveis. Incluem-se também matérias como Economia, Legislação Aduaneira e Tributária, Administração Mercadológica e Sistemática do Comércio Exterior.
    A carreira: Dentro das atribuições está o gerenciamento de transaçoes comerciais entre empresas de países diferentes e o planejamento de importações e exportações.
   Duração do curso: 4 anos.
 

14- Dança




Currículo: Consiste em estudar técnicas de movimentos corporais, que transmitam idéias, emoções e sentimentos. A teoria é fornecida por meio de disciplicnas como História da Arte, História da Dança e Filosofia.
   A carreira: Na dança, o bailarino solta sua criatividade artística por meio de movimentos corporais ao ritmo de sons, com técnica e sensibilidade. A carreira exige muito estudo e dedicação ao longo do seu decorrer, para aprimorar  as técnicas e entrar em contato com novas tendências.
   Duração do curso: 4 anos.


15- Decoração




Currículo: Consiste em estudar técnicas que criem ambientes. Espera-se do profissional que ele crie ambientes funcionais e estéticos, adequando as tendências e estilos da área conjugada às expectativas do mercado.
   A carreira: Permite que o decorador trabalhe com o projeto em si, escolhendo móveis, objetos e outros detalhes, assim como com a administração do projeto, estabelecendo o orçamento, cuidando da compra de materiais e gerenciando o pessoal. 
   Duração do curso: 4 anos.


16 - Desenho Industrial




Currículo: Basicamente, trata-se da carreira de designer, ou seja, daquele que projeta (desenha) objetos utilitários. São disciplinas fundamentais para sua formação. Desenho, Estética, História da Arte, Plástica, Psicologia, Economia, Sociologia, Matemática, Física e a ainda matérias ligadas à área visual (Televisão, Produção Gráfica, Materiais e Processos Gráficos e Técnicas  de Animação).
    A carreira: Atualmente, exige um bom domínio na área da computação gráfica. O profissional pode trabalhar em várias áreas, desde a indústria de calçados até a de automóveis. O desenhista industrial pode trabalhar com programação visual ou com criação de produtos.
    Duração do curso: 4 anos.


17-  Direito




    
Currículo: Basicamente estuda e aplica o código de leis, procurando cumprir as normas estabelecidas pela sociedade. O profissional deve ter, em sua formação básica, disciplinas como Filosofia, Economia, Lógica e Política.
    A carreira: Permite especialização dentro das seguintes áreas: administrativa, civil, comercial, criminal, trabalhista ou tributária. Além disso, o advogado pode tornar-se delegado de polícia, magistrado (juiz), promotor ou procurador público.
    Duração do curso: 5 anos. 


18- Economia Agroindustrial




    Currículo: O curso derivou da graduação de Economia e, como tal, possui em seu currículo as disciplinas básicas das ciências econômicas. As que diferenciam esse curso são as que abordam questões econômicas sobre agricultura, agroindústria, meio ambiente e desenvolvimento regional.
    A carreira: Esse profissional poderá atuar como analista de mercados agroindustriais, de certificação de atividades agroindustriais, planejamento ambiental, logística agroindustrial e outras voltadas  a essa área.
    Duração do curso: 4 anos.