sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Se alguém sofrer ainda amanhã













Eu não entendo o sofrimento.
Aquele sofrimento segredo, oculto, mistério.
Não compreendo estas lágrimas sem explicação.
Largadas quentes que escorrem pelas faces do sofredor.
Ouvi e me voltei: eis um espírito que chorava perto de mim.
Como se fosse sem sentido, sem nexo, sem revelação.

Não entendo o sofrimento-sem-palavras-inexplicável.
Ouvi soluços, num dia frio de inverno.
Ouvi gemidos numa manhã alegre de sol naquele domingo.
E continuei trocando os  passos pelas caminhos da Terra.
Não sei quando vou compreender o sofrimento
Contido entre as lágrimas-quentes-escorrendo-pelas-faces.

Se o sofredor tem a resposta que me explique.
Que a teologia me explique.
Que o oráculo dos tempos me explique.
Por favor é urgente, pois também já chorei 
De sofrimento-e-de-lágrimas-incontinentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário