quinta-feira, 24 de maio de 2012

Era uma vez um Rei e seu Filho mui amado...

      





    Um dia um rei muito rico, poderoso e muito humilde, soube da existência de um reino onde os seus habitantes estavam todos presos e sobrecarregados de penas. Ele ficou muito triste por que no seu império todos viviam bem.

    Não faltava comida nem bebida e a abundancia era um dos atributos daquele reino. Este rei tinha um filho o qual era muito estimado. Era o general de guerra no seu reino e não perdia nenhuma batalha. Até que um dia o chamou a parte e contou-lhe tudo o que aquele reino distante estava padecendo. Isto não poderia continuar. Ora aquele distante reinado também fazia parte do imenso império do rei poderoso. Ele pediu ao seu filho, seu único filho, que partisse e que fosse libertar todos os que estavam oprimidos por causa de suas duras penas. Era um povo rebelde e de coração cheio de rapina, mas ele sabia que no meio daqueles haviam pessoas que mereciam a sua compaixão. Disse então o rei para o seu filho, general:
"Só você, meu filho amado, pode libertar aqueles condenados. Você é a única esperança, por tanto vá por que eis que o dia já declina e a noite se aproxima. Amanhã eu quero todo aquele povo livre, feliz, vivendo abundantemente. Eles não tem condição de pagar o preço da liberdade. Porisso eu te envio a eles. Vai depressa porque estão perecendo.



   
    Então o filho respondendo disse: "Eis-me aqui, Senhor, meu pai. Envia-me a mim."
    Então chegando o filho do rei humilde aquele reino levantou sua voz disse: "Eu tenho a liberdade para todos vocês. É bastante crer em mim". Ora, muitos zombavam, outros prisioneiros criticavam dele, mas outros souberam aproveitar a oportunidade e foram alcançados pelo preço que aquele rei pagou. "Ora, este homem não pode pagar por todos o valor da liberdade!", diziam alguns. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário