sábado, 3 de março de 2012

O EVANGELHO E O SERVO INÚTIL!...



 
O EVANGELHO E O SERVO INÚTIL!...

Jesus nos apresenta dois contextos nos quais a idéia de Servo Inútil aparece.
O primeiro é o de Mateus:
Porque isto [...] é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos,
 e entregou-lhes os seus bens.
 E a um deu cinco dinheiros, e a outro dois, e a outro um; a cada um segundo a sua capacidade; e,
 depois disso, ausentou-se logo para longe. 
Ora, tendo ele partido, o que recebera cinco dinheiro negociou com eles, e ganhou outros cinco.
 Da mesma sorte, o que recebera dois, que veio a ganhar também outros dois. Mas o que recebera
 um, foi e cavou na terra
 e escondeu o dinheiro do seu senhor.
Muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles!...
Então [...] aproximou-se o que recebera cinco dinheiros, e trouxe-lhe outros cinco dinheiros, 
dizendo: Senhor, entregaste-me cinco;
 eis aqui outros cinco dinheiros que ganhei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Muito bem, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito
 te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Chegando também o que tinha recebido dois dinheiros, disse: Senhor, entregaste-me dois;
 eis que com eles ganhei outros dois.
Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito 
te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu Te conhecia,
 e sei que és um homem duro, que ceifas onde não 
semeaste e ajuntas onde não espalhaste; e, atemorizado, escondi na
 terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Servo mau e negligente
; sabias [?] que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? 
Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, 
receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe, pois, o dinheiro; e dai-o ao que tem os dez. Porque a qualquer que tiver 
será dado, e terá em abundância; mas ao que não
 tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

A segunda afirmação de Jesus sobre o Servo Inútil está em Lucas:
E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do
 campo, diga: Chega-te, e assenta-te à mesa?
 E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me até que tenha comido 
e bebido, e depois comerás e beberás tu?
Porventura dá graças ao tal servo, porque fez o que lhe foi mandado? 
É certo que não!
Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, 
dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.

No evangelho de Mateus a idéia positiva, a que faz um Servo Bom, é 
a confiança na Graça e a gratidão pelo privilégio de 
ser quem se é para Deus; sem medo de expressar e aumentar o dom 
da Graça em nossa vida; o que significa viver
 a plenitude de nossos dons, talentos, recursos e possibilidades; 
sendo que a ênfase recai sobre a alegria no servir como
 vida e do viver como serviço que dá sentido ao existir.
Já o Servo Inútil recebe um severo castigo...
E quem é esse Servo Inútil conforme Jesus declarou em Mateus?
Ora, é aquele que crê em Deus com raiva de Deus; e que projeta
 em Deus sua própria raiva de ser e existir; e que
 apenas crê em Deus como um fato inegável, porém desgraçado; visto
 que tal Deus é por tal pessoa visto como 
cruel e inimigo da alegria e da aventura de 
ser e crer; e, por tal razão, essa pessoa transfere para Deus sua própria
 visão mesquinha da vida, buscando assim
 não perder o que seja de Deus; porém, sem entender que o que Deus
 quer não é o dom que Ele deu, mas sim
 que a pessoa cresça conforme a confiança que tenha no fato de que Deus
 é amor, e também quanto à realidade 
de que Ele nunca dá sem que peça depois, e também nunca pede mais
 do que a capacidade de cada um de desenvolver.
Aqui em Mateus o que faz um Servo Inútil é a Amargura que se
 faz transferir para Deus e para a vida!
Sim! Pois toda amargura é paralisante!...
Já no evangelho de Lucas o Servo Inútil é aquele que é pago para fazer
 as coisas, mas, ainda assim, quer que ao chegar 
de suas tarefas o patrão se levante para agradecer!
Sim! Trata-se daquele tipo de assalariado que nunca é voluntário
 para nada, mas que deseja que o Patrão seja
 grato por ele fazer apenas aquilo que é pago para fazer!
Assim, em tal caso o Servo Inútil é o Funcionário do Bem, mas que nunca
 é Voluntário do Bem!
O Servo Inútil [ou] esconde com raiva a chance de servir... [conforme Mateus];
 ou, então, é aquele que acha que a vida
 tem uma divida para com ele; portanto, realizando ele apenas o que lhe
 for mandado como tarefa de um salário, mas
 sem jamais se oferecer para a vida
 como um voluntário; sem cheque list, porém checando a vida e se dispondo
 a servir sem pensar em recompensa.
Desse modo o Servo Inútil é aquele que recebe o dom da Graça e o 
enterra sob a alegação de que servir a Deus é
 coisa dura e arriscada; ou, então, é aquele que serve a Deus e à vida
 na esperança de ser visto como herói de algo
 que nada mais é do que mera obrigação; ou seja: de algo cujo 
pagamento é a Graça de fazer.
Servo Inútil é todo aquele que diz:
“Não fiz nada, mas não atrapalhei... Afinal, Deus é duro!”
Ou então:
“Fiz tudo o que me mandaram. Recebi muito por isto. Mas onde está o reconhecimento?...”
Os amargurados fazem a primeira declaração com muito orgulho...
Os narcisistas, legalistas, justicistas e auto-referentes fazem a
 segunda declaração com cobrança ingrata...
Acerca de ambos os casos e espíritos [...] Jesus apenas diz...
Mateus:
Tirai-lhe, pois, o talento; e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer
 que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao
 que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Lucas:
Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos
 servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.
Agora veja...
Se você não oscila entre dias nos quais você esconde a Graça com
 raiva de Deus por mera amargura contra a vida...
Ou, então...
Veja se você não é daqueles que fazem a obrigação que é remunerada 
com Graça inefável, e, ainda assim, desenvolve 
expectativas que o Patrão da Vida não dispensará a você jamais...
Amargurados e Narcisistas não ganham nada de Deus!
O Servo Bom é aquele que se sabe tão inútil, que, por tal razão,
 vê em toda chance de servir algo que é apenas 
um Indizível Privilégio!

Nele, que assim disse que é,

Caio
17 de janeiro de 2010
Lago Norte
Brasília
DF

Extraído de:
http://www.caiofabio.net/conteudo.asp?codigo=05717

Nenhum comentário:

Postar um comentário