domingo, 6 de março de 2011

A TERRA CONTRA-ATACA - Parte 7

As mudanças climáticas e a profecia
Nos chama atenção o modo como as advertências de destacados cientistas e dirigentes mundiais se parecem bastante com as profecias bíblicas as quais descrevem o fim desta era e o tempo que precede ao regresso do Jesus Cristo. Quando perguntaram ao Cristo: "Que sinal haverá de tua vinda e do fim do mundo?", Ele respondeu aos seus discípulos que ficassem alertas com um período de "guerras e rumores de guerras... pestes, e fomes, e terremotos em diferentes partes do mundo" (Mt 24:3, 6-7). O apóstolo João apresenta estes mesmos fenômenos do tempo do fim como os três grandes "cavaleiros": guerra, fome e enfermidade; que matarão a quarta parte da população do mundo (Ap 6:3-8) Hoje os cientistas prevem que milhões de pessoas morrerão vitimas da fome advinda do clima, e em guerras por recursos como a água e o petróleo. A estas calamidades cada vez mais extensas no mindo as chamou Jesús de "o princípio das dores" que precederia a Sua iminente volta a esta mundo (Mt 24:8, 32:8, 32-35). Os cientistas dizem que as atuais mudanças climáticas são apenas o começo de mais alterações catastróficas que virão futuramente.
    
Jesus também predisse que antes da sua volta haveria uma "grande tribulação, como desde o principio do mundo não tem havido e nem jamais haverá...Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo" (Mt 24:21-22). Será simples coincidência que destacados cientistas estejam afirmando virtualmente a mesma coisa; que o aumento das temperaturas pode alterar a Terra de modo tão dramático "que seria incapaz de sustentar a vida" nos próximos anos? Hoje, enquanto pesquisas científicas documentam a crescente extinção de espécies, os planctons e o desaparecimento dos recifes de coral em oceanos mais quentes e ácidos; a pesca comercial dizima as reservas pesqueiras  mundiais.
       
 É notável que o profeta Oséias previu um momento no qual "a terra está de luto, e tudo o que mora nela desfalece, com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar perecem" (Oséias 4:1-3).
(continua)




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário