terça-feira, 12 de outubro de 2010

Como escolher o seu candidato


"Tribuna Catarinense"

O povo brasileiro, de maneira geral, não decide com antecedência em quem vai votar. Muitos deixam esta decisão para a última hora. Às vésperas das eleições de 3 de outubro, quando serão escolhidos o novo presidente da República, o novo governador do Estado, além de senadores e deputados federais e estaduais, ainda é grande o número de indecisos.
Só para o Senado, mais da metade dos eleitores não sabiam, até a semana passada, em quem votar. Muitos nem sabiam que eram dois votos para senador.
Se você também ainda não decidiu em quem votar, a "Tribuna" preparou um roteiro para ajuda-lo a definir os rumos do Brasil e de Santa Catarina nos próximos quatro anos.

1 - Relacione os candidatos:

Saiba quem são os candidatos a cada um dos cargos. Os sites do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e do Tribunal Superior Eleitoral (STE) oferecem a lista completa dos candidatos, notícias sobre o julgamento de candidaturas e outras informações úteis. Acesse www.tre-sc.gov.br ou www.tse.gov.br

2 - Determine os critérios:

Determine quais são os critérios que você vai usar para escolher seus candidatos e faça uma pré-seleção. O seu candidato terá a função de representá-lo no governo nas diferentes esferas e de forma diferente, dependendo da função. É importante que você se identifique com o seu candidato, tanto nas idéias quanto na região que ele representa.

3 - Pesquisa a sua vida:

Pesquise o que os candidatos fizeram no passado. Geralmente eles têm alguma ligação com entidades de classe, representação de determinados grupos, associações ou organizações. Se é candidato à reeleição, é importante procurar saber como foi o seu mandato anterior e o que ele fez pela região que representa. Com base no passado, é possível traçar o perfil do candidato e saber quais são suas principais bandeiras.

4 - Informe-se e discuta:

Saiba as propostas do candidato através de entrevistas e debates. Discuta as informações que você já obteve com seus amigos, parentes, colegas de trabalho. A democracia dá a chance de que todos participem da escolha de seus representantes em todos os níveis de governo nos próximos quatro anos.

5 - Escolha e vote certo:

Obtidas todas essas informações, você já tem subsídios para escolher o seu candidato e votar. No dia da eleição (domingo, dia 3) esteja prevenido: anote o número de seus candidatos. Você poderá consultar a sua "cola" no momento de votar. Não se esqueça de levar consigo o título de eleitor e um documento de identificação oficial com foto. Um eventual segundo turno está agendado para o dia 31 de outubro.

Os dez mandamentos do eleitor

1 - Não votar em branco e não anular o voto. A duras penas, conquistamos o direito de votar, principalmente as mulheres e os jovens. Voto nulo ou em branco colabora para piorar a situação do País.

2 - Voto não tem preço, tem consequências. Vender o voto é um gesto indigno e um ato de corrupção, porque se vendem a consciência e a dignidade humana. O voto deve ser consciente, livre e secreto. Voto não é mercadoria, é exercício de cidadania e de democracia.

3 - Escolher candidatos e partidos que têm sensibilidade pela comunidade. Honestidade e transparência dos candidatos são valores que devem contar na hora de decidir seu voto. É preciso conhecer o passado e as capacidades dos candidatos e dos partidos.

4 - Evitar o pessimismo e a omissão, como se a eleição não resolvesse nada e como se os políticos fossem todos corruptos. Isso não é verdade. A questão é saber escolher.

5 - Ninguém é obrigado a votar em alguém por ter recebido um favor, um presente ou uma promessa. Somos obrigados a votar segundo a nossa consciência e responsabilidade. Eleição significa decisão sobre nosso futuro e os destinos da Pátria. Não é troca de favores.


6 - Não se deixar iludir pelos cabos eleitorais, nem pelos candidatos que levam vantagem nas pesquisas, nem pelas maracutaias de boca de urna. Sae você conseguiu água, luz, asfalto, é porque todos os contribuintes pagam, inclusive você. Isso tudo é feito com dinheiro público, não sai do bolso dos candidatos.

7 - Saber quem financia os candidatos, porque depois irão cobrar o retorno dos gastos. Não votar em alguém só porque é amigo, parente, patrão, tem dinheiro, é conhecido. Não merece ser votado quem é incompetente, mentiroso, promete mais do que pode cumprir, trocou muitas vezes de partido e gasta exageradamente na campanha eleitoral.

8 - Não é só a eleição que resolve nossos problemas, mas a educação e a cultura, a organização do povo e sua conscientização, como também entre a fé e a política, visto que os cristãos devem ser sal da terra, luz do mundo, fermento da massa.

9 - Na horta de votar, levar o número dos candidatos, não aceitar cédulas preenchidas. Tomar cuidado com carona, dinheiro, combustível e cestas básicas no dia da eleição. Em caso de dúvida, recorrer ao presidente ou secretário da mesa.

10 - Fiscalizar o trabalho dos escolhidos depois das eleições, acompanhar todos os seus passos, cobrar o cumprimento das promessas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário