domingo, 31 de maio de 2009

Poema por uma Nova Vida













Assim por este orbe
de ódio e traições,
de agonizantes "etc" da dor,
sigo pensando:

- "Se a vida fosse doce
mesmo como um doce qualquer..."
Haveria por acaso menos espinhos
nas rosas cor-de-rosa, menos ácidos
corroendo os espíritos, menos
esse "tudo-de-ruim".
Ah! Se a vida fosse
como suave verso de Camões
a vagar solto por entre as vagas
do "mar da vida"...
Certamente as ondas
não afogariam minh'alma
e sentiria sobretudo o perfume
da paz e da felicidade
(a harmonia entre os homens).


Se não houvesse este ódio perfeito,
esta inveja "politicament correta",
tudo seria diverso e tão bonito...
Sim. Eu não me sentiria
como mosca nogenta
sobrevoando o excremento
fétido deste mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário