domingo, 17 de maio de 2009

Poema por João Pessoa, a cidade verde





Cidade és, dentro de um parque.
És verde plaga junto ao mar,
És floresta onde brotaram casas,
Casa e floresta encantados,
Que se abraçaram um ao outro
No mesmo solo gentil.

Cidade onde casas e árvores
Se confundem no verde do teu aconchego.
Tens casas de folhas, troncos
Galhos e raízes e casas de tijolos
Para o homem repousar.
Tens jambeiros que são casas
Onde cantam em algazarras os pássaros
À tarde tão felizes!

Caminhando em tuas ruas
Meus versos se esvaziaram,
Os meus poemas brotaram
No mais verde do meu olhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário