segunda-feira, 11 de maio de 2009

Do Riso que se Foi

Deletai-me a dor,
Ó musas a cantar
No jardim do amor,
-Pérolas do meu mar.
Dai-me um vetor
Onde eu possa estar,
Ó musas do alvor,
Do clarão do Luar!
Num arquivo ali,
Não sei de preciso,
Resta o que construí.
Se foi de improviso
(esse mal sofri).
-Devolvam-me o riso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário